Na Trincheira do Poeta

Na Trincheira do Poeta

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Investigações esvaem energias!

Ministros e parlamentares denunciados às dúzias, uma vergonha...

Uma negação ética do exercício da representação popular. Uma traição mesmo à Pátria que merece a exclusão sumária e definitiva da vida pública.

Em  2016 o Impeachment, com traumático processo que parou o país. Em 2017 duas investigações contra Temer e lá se vai mais energias... Ministros e parlamentares denunciados às dúzias, uma vergonha à classe política brasileira. A toque de caixa intentam reformas oportunas aos políticos, como a política, um arremedo de propostas sem nenhum idealismo no seus conteúdos e sim o alcance de benefícios aos encastelados e seus partidos. Uma anarquia generalizada, e o povo, que não aguenta mais ir para as ruas, assiste a este circo de artistas do jogo da esperteza sem nenhum senso crítico e critério ético.
O Presidente do PSDB, preso e deposto, exige dos Ministros do STF atenção especial em julgamento, cuja decisão em voto de Minerva da Presidente Carmen Lúcia deixou oportunidade para que o Senado apreciasse, com poder de revisão a decisão, prevalecendo a parlamentar quanto à deposição e restrições à liberdade, previamente impostas.
Reconduzido ao posto, o Senador Tasso, no mesmo dia, disse que Aécio não tem condição de presidir o partido. Na Câmara dos Deputados, rejeitaram a segunda denúncia contra Temer. Da Reforma da Previdência nem se ouve falar. Atos do Presidente são questionados, com recuos sucessivos, como se as autoridades estivessem fazendo balão de ensaio com suas competências.
Em recente entrevista, o Juiz Sérgio Moro disse que apesar de bem cotado nas pesquisas para o cargo de Presidente, pretende seguir o Ofício de Juiz. Fez um resumo da Operação Lava Jato que em três anos com abrangente rol de investigações, sucedendo o Mensalão. Nela foram presos vários políticos, empresários e servidores públicos, nomeados e de carreira. Também recuperou vultosa soma de numerário, servindo de parâmetro a conduta ilibada que deveria prevalecer na administração pública.
A política está atravancada pelas mais diversas denúncias graves que recaem sobre seus agentes. Uma situação inimaginável que depõe contra a imagem do homem brasileiro. O envolvimento dos ex-presidente Lula e Dilma no aparelhamento da Petrobrás, do qual está provado que  todos os partidos da base aliada se beneficiaram de recursos públicos e ainda a aprovação de Emendas a Constituição Federal, sob pagamento a políticos como premiação pelos privilégios alcançados, uma negação ética do exercício da representação popular. Uma traição mesmo à Pátria que merece a exclusão sumária e definitiva da vida pública.
Por isso, não deixo de reivindicar: eleições vinculadas a instalação de Poder Constituinte que reveja a Carta Cidadã. Uma nova República, sob novos conceitos e princípios. O serviço público brasileiro está contaminado pela conduta que resulta em ineficiência consentida generalizada e privilégios que persistem descabidamente.
Felizmente, a comunicação de hoje expõe esta situação publicamente em rede com o rol deles. Com a palavra, os Constituintes. Menos políticos de norte a sul, no três níveis do poder. Mais professores e médicos em todo país. Conduta ética e amor ao próximo. Servir e não se servir, sempre ao homem público!

sábado, 14 de outubro de 2017

STF empate ou conluio?

Eles lavaram as mãos, sobrou para a Presidente!

Ás vezes se aglutinam formando blocos, pois  andorinha sozinha não faz verão”. Daí a queda de braço, agora vista!

Excrecência uma palavra forte para identificar situações escabrosas decorrentes, no caso da conduta detectada na Suprema Corte de Justiça do país, não bastasse as que incidem nos atos  de corrupção de políticos, empresários;  até  no esporte olímpico, o símbolo um dia da altivez cultuada pelos nobres e puros de coração e mente. A grande imprensa afirma que o placar era sabido pela linha de pensamento e interesses a influencuaiar os juldores. Eles lavaram as mãos, sobrou para a Presidente!
A aldeia global cantada décadas atrás a nível mundial,  parece girar descontroladamente. Ao invés das grandes guerras imperialistas pela conquista de territórios e de populações, no passado. Hoje, vemos a subversão das mentes quanto aos valores humanos, numa malévola conduta na busca da riqueza pela  paranoia do domínio dos conceitos filosóficos e de crença.
No caso do Supremo tem de tudo, vínculo com quem nomeou, concepções filosóficas diversas sobre os fins do Estado. De tudo que o relés mortal assiste, pois são “supremos”. Ás vezes se aglutinam formando blocos, pois  andorinha sozinha não faz verão”. Daí a queda de braço, agora vista!
Faz-se do rito um verdadeiro circo, em nome da transparência lá se vão horas e horas de exposição na Corte, gravada para reapresentação para que se cumpra o quesito da transparência.
Com votos adrede imaginados pelas posições dos ministros individualmente neste momento, deu-se o empate na votação, no último julgamento envolvendo Aécio Neves, quanto aplicação das penas restritivas discutidas. A necessidade da decisão da Presidente Carmen Lucia em voto de minerva, já era esperada e divulgada na grande imprensa!
Está difícil de entender esta República, onde o judiciário  salvaguarda  de seus valores titubeia, formando blocos a defender em uníssono teses, mais parecendo um conluio entre partes a buscar uma única decisão que atenda aos dois poderes de forma a se evitar cisão. Nem sempre a conciliação representa a mais sábia das soluções. Com a palavra o parlamento. Se houve conluio, uma decepção sempre. O futuro dirá?

terça-feira, 10 de outubro de 2017

As pesquisas e suas nuances!

Certo é que não saiu reforma política alguma!

O Partido que melhor identificar o que deve ser reformado e fizer disso sua plataforma de campanha, terá melhores chances se o candidato tiver uma mínima confiabilidade.


As pesquisas, ora as pesquisas! Lembranças de algumas viradas nos mostram que a efervescência do momento torna incertas elucubrações sobre o sucesso de qualquer candidato posto neste momento, pois muita água haverá de passar sob a ponte, muitos políticos a serem condenados e mesmo o desdobrar de investigações, ainda não concluídas.
Certo é que não saiu reforma política alguma! Houve sim uma discussão, entre os mesmos para viabilizar verba oficial para campanha e um ligeiro aceno quanto a sérios descalabros que contaminam de negatividade a política no país pelo excesso: de partidos e mais grave ainda de privilégios aos políticos. Foi uma encenação só de última hora, tema este e outros gravíssimos da estrutura do estado brasileiro que devem ser revistos por um Poder Constituinte específico, após a próxima eleição.
Sobre as pesquisas me lembro bem de Maluf versos Erundina. O primeiro disparado na frente despencava a vinte dias da eleição. De volta da capital, disse a amigo – o turco vai perder, só se fala dessa hipótese pelas ruas e não deu outra...a nordestina faturou. Também pela mesma turma lembro-me de uma virada ao senado em São Paulo quando Franco Montoro, Suplicy e Jornalista Ferreira Neto pontuavam a frente, com destaque para o último. Motoro caiu, restando os dois, com larga vantagem ao “malufista”...na  noite da eleição, tudo foi por água abaixo. Suplicy tirou milhões de voto de diferença.
Vejo que a virose está espalhada nos políticos de carreira. São tantas as falcatruas e surpresas de mais desmandos, como esta decepção dos Jogos Olímpicos, maculados que estavam pelo doping dos atletas russos e agora pela constatação da compra da vaga das Olímpiadas no Brasil, que na próxima eleição a vida ilibada do candidato vai ser decisiva porque não vai faltar investigação e denúncia sobre todos os candidatos certamente.
Este estado de coisa é bom e alentador, pois a inércia pela perda da capacidade avaliar atitudes nefastas, corruptas e de incompetência para governar nos levaram ao estrangulamento na condução dos objetivos da nação.

As próximas eleições uma oportunidade de virada, ela só virá com a instalação de um Poder Constituinte Reformador para rever os equívocos destes últimos trinta anos, principalmente quanto à estrutura do Estado e descalabros dos privilégios na administração pública, concedidos desavergonhadamente,  aos políticos em todos os níveis. O Partido que melhor identificar o que deve ser reformado e fizer disso sua plataforma de campanha, terá melhores chances se o candidato tiver uma mínima confiabilidade. Chega de blá...blá... Cartas na mesa. Muda Brasil para o bem das novas gerações!

Resenha da semana VII


Pinceladas em noticiário recente!
A Cabeça do Ateu, por Leando Karnal- Filósofo 01/10/2017
Tema dificílimo! Prefiro a cabeça de quem imagina ser Deus o Amor. Aquele Amor devotado indistintamente às pessoas por comungarem as vicissitudes da vida; as causas nobres, como promover a justiça, a benemerência, a elevação do próximo e com ele compartilhar a vida. Difícil não? Mas assim, todas a dores se minimizam e as alegrias se somam! Deus a busca do ideal e a tolerância infinita!
Num armazen em Genebra Nuzman guarda o ouro brasileiro. 05/10/2017
O esporte olímpico tão nobre nas mãos de crápulas! Terríves tantas notícias negativas, escabrosas sobre homéns públicos brasileiros. Até o esportista presidente do COB?!
Ainda sob escolta, ex-juiz é opção ao governo do Mato Grosso do Sul – 10/10/2017

Ao permear esta parafernália de acusações,  prisões de réus confessos e de tudo que vimos nos últimos anos, evidentemente que os políticos de carreira estão todos enlameados pelo lodaçal dos crimes escancarados por delatores premiados legalmente mediante o benefício da diminuição de penas. Assim, restam aqueles imunes a corrupção, com ações carreiras de sucesso quer seja na iniciativa privada, como prefeito de São Paulo e na função pública pela conduta ilibada, no caso deste juiz se assim foi de verdade!

domingo, 1 de outubro de 2017

Da formatura ao casamento!

Muita alegria de todos em momentos especiais de nossas vidas. 

A excelência do curso, os valores familiares, somados a experiência de cinco anos como soldado em três corporações militares distintas, deu o amálgama que caracterizou minha conduta no exercício do comando da tropa por quinze anos.

Constei em postagem que no dia da formatura noivamos. Foi no Restaurante Brasão, na Vila Maria com a presença de ambas famílias, pois o primo dela também formando participou com seus convidados. Muita alegria de todos em momentos especiais de nossas vidas. Fomos designados para a unidade da área em residíamos com sede na Lapa, à rua Spartacco  366, 4BPM/M. Daí ao casamento em 15/05/1976 se passaram dez meses. Um período de meditação profunda sobre a responsabilidade de constituir família e o início do oficialato. Confesso que me recolhi em pensamentos, que ao final contemplaram a decisão de não vagar mais ante a solidez de um relacionamento duradouro, em família que me amava e merecia o meu amor sob todos aspectos, aquela a quem me uni por laços matrimoniais Ivanir Arão, hoje em outro plano! 
Sob o prisma do exercício profissional, experimentava os louros e desafios da liderança. A excelência do curso, somada a experiência de cinco anos como soldado em três corporações militares distintas deu o amálgama que caracterizou minha conduta no exercício do comando da tropa por quinze anos.
Neles a lei em seu espírito e meandros exercitada no limite máximo no sentido de que a prestação do serviço fosse a melhor possível. Adorei comandar, portanto foram anos de regozijo  profissional. Um trabalho, sem influência externa nenhuma, pois o Comando do Batalhão renovado, buscava a legalidade e os nove Aspirantes vieram em boa hora para assim proceder. Foi um período efusiante do exercício profissional. 
Já relatei sobre o tiroteio com morte; o parto em trânsito; aquele  poste da calçada da Cerro Corá, defronte o supermercado que ainda o vejo e me lembro do susto do balançar da viatura em sua direção. Tem a colisão da veraneio nas Perdizes com condutor que não ouviu a sirene na madrugada; os jovens postados para largada numa alça de uma rotatória na Sumaré, liberados após uns minutos de considerações sobre os riscos da prática;  os operários revoltosos por falta de alimentação num canteiro de obras no início da Bandeirantes, acomodados pacificamente após uma fala sobre uma tambor, por  quem já se houvera com fome também, um dia; curiosamente, uma segunda apresentação do Pastor Rekzamar, por superlotação na primeira, pasmem diletos leitores, do Pacaembu; a mãe que em pleno no dia de Natal era ferozmente ameaçada, por jovem na distante Perus, dominado pela guarnição, após luta em lamaçal da qual saímos elameados e aqueles dois adolescentes que acionados os pais, confirmaram a autorização para acamparem. Enfim, são tantas mais, estás só no meu turno de serviço, durante o aspirantado. Vida dinâmica e de desafios diários a do patrulheiro. Desafios recompensadores, pois os benefícios ao cidadão são sentidos de pronto por ele. Atendia plenamente meus anseios de servir ao próximo do qual jamais me afastei. Casado,  cursei Educação Física, fase que relatarei! 

Domingo dia do Senhor, um momento de reflexão de quem é  agradecido à providência divina pela profissão que exerceu e como exercida foi, na qual pode empregar sua  energia física e mental no limite de suas forças na defesa ao próximo, através de uma profissão digníssima de intensa interação com o extrato social em todas as suas matizes. À minha extinta esposa, companheira de todas as horas o reconhecimento de que nela encontrava sempre o apoio dos bons e fortes de espírito e alma! 
Que o Senhor seja louvado para sempre louvado seja! 

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Resenha semanal VI

Difícil acompanhar o noticiário brasileiro. O momento é crítico. Mas se faz necessário, pior é ser alienado!
 Bandidos constroem versões por ouvir dizer', diz Planalto 12/09/17
Está muito triste ver o noticiário em geral sobre as atitudes dos envolvidos em corrupção no Brasil, quer seja dos particulares ou dos políticos. Fora catastrofes, só se fala disso. Cansou, a impressão é que todos se perderam num mar de lama, ante a expectativa de que velassem pela honestidade. Todos, pois em ambos os polos são criminosos pela prática da corrupção ativa ou passiva. O país nos trilhos é todos querem ver!
Professor é agredido com tijolo e tem carro depredado por alunos em São Carlos 13/09/17
Faz é tempo que o princípio da autoridade fez água nas escolas do Brasil. O descalabro que vemos na política em que líderes nacionais estão sendo desmascarados pelo envolvimento com a corrupção, contaminou a sociedade num estado de coisa difícil de reverter.
 Sabia de custo por enfrentar modelo político corrupto, discursa Janot em despedida 15/9/17
O exercício da autoridade é um ônus personalíssimo. Em que pese o caráter objetivo dos atos praticados, a decisão sobre a oportunidade em matérias tão intrincadas como as denúncias ao Presidente cabe a avalição da oportunidade e outras vertentes. Janot sai mesmo como homém forte, neste tumultuado momento da política nacional.
 Discurso de Posse de Raquel Dodge 18/09/17
Marcante foi a votação da PEC que tirava os poderes investigativos sobre atos administrativos/políticos do Ministério Público, um cala boca propício aos corruptos. Já haviam tentado no início do mandato,2002/04 calar a imprensa, via órgão de classe, sob o controle do viés ideológico. A votação foi 400 contra para 9 a favor, da permanência deles, uma vez exigida a votação pelo povo nas ruas em 2013. Sucesso Procuradora Dodge. Os brasileiros, pedem e merecem honestidade e eficiência dos homens públicos.  
 Marco Aurélio prevê revisão de afastamento e recolhimento de Aécio pelo Senado. 20/09/17

Políticos de todo jaez, desde vereadores a senadores esperneiam nas garras da justiça. Este dia chegou! Que atravessemos esta etapa de tantas frustrações para os populares que assistem sem acreditar no que os noticiários divulgam quanto a nomes e mais nomes, inclusive de candidatos a cargos importantíssimos da República, sendo que a eleita presidente descansa em casa faz tempo. Quando será a vez do Renan?

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Entrevista do Comandante do Exército!

Fardado, o entrevistado deu show de civilidade e competência.

Permeou com propriedade os mais diversos temas da vida nacional e se ateve com especial atenção à causa amazônica, região onde serviu por vários anos.

Ocorreu na segunda-feira desta semana, no programa "Conversa com o Bial", inédita entrevista com o General Comandante Villas Boas, Comandante do Exército Brasileiro. Evidentemente não fui dormir, ainda bem! Consta de minha biografia que em 1949, em plena Segunda Guerra Mundial, meu genitor foi dispensado, após o alistamento militar e lamentava o fato, ao contrário de muitos.
O tempo passou, e em 1966 lá estava eu no Batalhão da Guarda Presidencial depois de muitas peripécias, a prestar continência ao General Humberto de Alencar Castelo Branco, Presidente da República. Em 8 de maio de 1970, nos Campos de Registro, interior de São Paulo, cumpriu a mim combater terroristas detratores da Pátria.
Fardado, o entrevistado deu show de civilidade e competência. Tratou com naturalidade o caso do Gen. Humberto Mourão ao dizer que a fala dele foi em âmbito restrito, ao responder questionamento sobre assunto específico à competência das Forças Armadas, que tem mesmo o poder de intervenção no caso do exaurimento de outros meios quanto ao resgate da ordem constitucional. Mourão é um bom Soldado, já conversamos e não haverá punição.
Permeou com propriedade os mais diversos temas da vida nacional e se ateve com especial atenção à causa amazônica, região onde serviu por vários anos, destacando sua importância para o mundo no aspecto ambiental e ao país pela sua riqueza incomensurável. Riqueza esta que é de tal magnitude que sofre influência internacional, devendo ser tratada com especial atenção a área quanto a soberania nacional pela indevida influência estrangeira na região.
Disse que na época de chumbo, como é chamado o auge do período da repressão militar, era muito jovem, suas funções por isso foram estritamente de caserna e operacionais sem nenhum vínculo com com a atividade antiterrorista.
Villas Boas deu tambêm belo exemplo de superação e humanidade, pois mesmo sob tratamento de doença degenerativa não abandonou o posto, falou da sua fé em Deus e com a participação de sua simpática filha, por ela foi citado os hábitos familiares e preferência musical dele pelo folclore de vários países e músicas raízes, inclusive a  sertaneja.
Dignificante a conduta exposta como constou às Forças Armadas do Brasil. Como bom soldado e simples ente comunitário que me esforço ser... o aplaudo General Vilas Boas. Parabéns!