Na Trincheira do Poeta

Na Trincheira do Poeta

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Eleições, essência da democracia!

Eleição é para ficha limpa!

Esta prevejo,  será a sina de muitos candidatos neste pleito – a “síndrome do neste eu não voto mais”.

É o que caracteriza a expressão, condição "sine quá non", traduzida "sem eleição  inexiste" democracia. Evidentemente a abundância de conceitos, situações, se apresentam em infinitas características e formas de convivência, experimentadas ao longo de séculos conforme registros históricos desde a Grécia Antiga.  
A discussão, a expressão das ideias, razões, consequências, conforme o ditado: "o hábito faz o monge", assim se criou vários monges da corrupção pelo hábito generalizado da riqueza fácil. O candidato a merecer o nosso voto, há de ter seu passado exposto regiamente sem mácula, sua trajetória, seus feitos,  a evolução pessoal e funções relevantes exercidas a excelência, assim  - transparecerá  a distingui-lo, a tarja ou silhueta da credibilidade merecedora de nosso voto quando entrarmos na cabine.
Circula pesquisa deste final de semana do Estado de São Paulo, envolvendo 12 candidatos. Dentre eles sobressaem os quatro primeiros – Bolsonro 16, Alckmin 15, Marina 11 e Joaquim Barbosa 9. Em sequência os outros com baixíssimos índices. A esclarecer que o cenário nacional não difere muito deles e que não foi previsto a participação de quem está preso, por óbvios motivos. Eleição é para ficha limpa!
Antes de qualquer análise, me bastaria esta de que a participação direta sob a liderança da CNBB – Conferência do Nacional dos Bispos do Brasil, a população assinou proposta de lei de que condenado não poderia se candidatar a qualquer cargo público, efeito do dispositivo legal  afeito democracia direta. Ela existe e foi exercida, neste caso!
Este é o momento. O Diplomata Rubens Barbosa em análise de ontem afirma que as eleições deste ano influenciará toda década seguinte. Veja a  responsabilidade do eleitor ao escolher aqueles que tem a responsabilidade de nos administrar, influenciar as pessoas, colocando-se como candidatos.
Tudo que nos desalenta é fruto de equívocos seríssimos, interpretações equivocadas na condução do país, quanto aos - princípios educacionais, econômicos, de segurança, das finalidades essenciais do estado. Riqueza não falta ao Brasil, no aspecto da evolução comercial, industrial, no agronegócio estamos bem.
Assim, tenho que concordar com o palestrante quanto a importância do pleito. Reneguem figuras engessadas por pragmatismo que vem destes últimos 30 anos, excluas! Também aos do discurso ou canção de uma nota só, seja de esquerda ou direita, fora aos paranóicos. Àqueles que permearam o meio político e das suas distorções se valeram até hoje, sem nada que se destacasse que seja do conhecimento e sensibilidade social nacional. 
A estes que guardem suas bravatas para usos individuais - não para nos governar.
Esta receita deixo, bem sintética. Verei quem nela não se enquadra. Andorinha sozinha não faz verão, mas o prazer do direito ao voto é inigualável e individual. Porquanto, pensar ante aos graves erros que vemos – neste não votei e se votou afirmar, neste eu não voto mais! Esta prevejo,  será a sina de muitos candidatos neste pleito – a “síndrome do neste eu não voto mais”.
Na reta de chegada, as redes sociais aquecem suas turbinas. A população, sem showmícios e pouco tempo aos parasitas de plantão, será melhor esclarecida pelos idealistas de plantão. Assim, esta eleição, certamente será diferente. Quem fez mau feito ou não fez, não é com conversa fiada e argumentos dispersos  de última hora que vai convencer o eleitor. Assim espero – um país renovado e melhor! Até mesmo com uma nova Constituição!!!

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Aécio fora da eleição?




Decepcionante o quadro político no Brasil.

Com processo em andamento no Supremo Tribunal Federal, todas as portas lhe fecharam, por graves acusações que inviabilizam sua eleição e ainda contamina seus correligionários de partido.


Decepcionante o quadro político no Brasil. A Sanha da vitória e o método operante nos bastidores levou a maioria ao cadafalso. Aécio pode até se candidatar, mas com que chance?  A assertiva é verdadeira, pois a   vitória não virá jamais! A liberalidade quanto o número de partidos deu oportunidade ao aumento deles que chega a trinta e cinco e tantos outros que querem uma oportunidade. Nesta barafunda toda o Partido dos Trabalhadores chega a Presidência da República com um projeto de se eternizar e deixando claro isso por alguns de seus expoentes  que batiam no peito, será pelo menos por vinte anos.
Chegaram por criticar a tudo e a todos, bloquear votações importantíssimas, sempre dizendo que fariam melhor, mesmo quando foi derrubada a inflação e o país dava mostra de grande progresso. Aproveitaram-se da implantação da Reeleição que muitos não gostam, da qual decorreu um desgaste muito grande do líder reeleito que contaminou seu partido e até hoje o PSDB assiste pela janelinha o Palácio do Planalto, ocupado por outros quadros que não os seus.
Os métodos de arrecadação de recursos e apoio político se deterioraram, transformando-se num salve-se quem puder, sendo que na sanha de arregimentar correligionários muitos políticos enveredaram pelas ilicitudes de seus atos e hoje se veem presos, indiciados, quando não desmoralizados publicamente.
Aécio foi o último candidato ao Planalto do PSDB; primeiro Serra; segundo Alkmin depois que Fernando Henrique deixou o poder em 2002. Agora se vê envolvido em várias acusações, sendo a última que tomou emprestado (dois milhões de reais) de Joesley Batista,  uns mais ousados corruptores do sistema, envolvido em vário casos que o consagrou como um dos empresários de maior sucesso do país.
Com processo em andamento no Supremo Tribunal Federal, todas as portas lhe fecharam, por graves acusações que inviabilizam sua eleição e ainda contamina seus correligionários de partido, candidatos, como  Alkmin ao Planalto e Anastásia ao governo de Minas Gerais, os principais.
Um fim de linha melancólico de quem herdou o legado de Tancredo Neves, um expoente da política nacional desde Getúlio Vargas de quem foi assessor de confiança.
Está difícil o jogo do xadrez político desta vez, o tabuleiro parece turvo, às vezes com fantasmas ao invés peças e muitos deles sentindo a presença de corpos estranhos gritam: cuidado que a Polícia Federal vem aí. Está difícil contar quantos políticos já foram presos desde o Mensalão e pior empresários corruptores também!

domingo, 15 de abril de 2018

Abaixo o Foro Privilegiado!


Leis de compadrio que privilegiem a casta política, não se justifica mais!

Ainda não estava escancarada a corrupção como agora. Ainda os ministros do STF, não tinham se estranhado, nem Aécio fora denunciado, nem os 6 bilhões da Petrobras haviam sido contabilizados.


Entre tantos privilégios que se constituem na maior constatação de que estamos num país ainda muito atrasado se comparado com outras nações do chamado “primeiro mundo”. A intensificação das comunicações e mesmo viagens de patrícios, antes inviáveis dispõe às pessoas a visibilidade “in loco” e comparações diversas, seja pela televisão, cinema, fotos, enfim uma gama enorme de possibilidades que a manutenção de hábitos, costumes e leis de compadrio que privilegiem a casta política, não se justifica mais! E porque estão aí, porque prosperam. Porque temos que voltar às ruas e impor a pauta.
Fosse por eles havia censura aos jornalistas, imposta pela própria associação de classe. Quem não sabe disso? Nos primeiros dois anos do governo Lula foram muitas as tentativas rechaçadas de impor esta medida. Eles sabiam que não resistiriam a uma imprensa livre, pois as boçalidades que iriam praticar seriam um prato cheio para a imprensa e foi: muitos crimes, muitos presos. A Nação em choque de tantos crimes e mediocridades  praticadas.
Tudo que é privilégio deve ruir! A Reforma da Previdência não passou, mas passará num novo governo. O Foro Privilegiado deve cair antes das eleições. Ele não existe nos países desenvolvidos e a Sociedade Brasileira quer caminhar para o desenvolvimento. Ela já deu mostra em 2013 e 2015 que não aceita este método corrupto de fazer política, ao afastar de seu meio – quaisquer políticos, sindicatos, inclusive as associações. A impressão que deixou foi a de que tudo que é organizado pelos políticos no Brasil, tem um que de desorganizado que os favorece, por isso foram escorraçados do meio do povo. O que você acha leitor: estava o povo certo ou errado de rejeitá-los?
Ainda não estava escancarada a corrupção como agora. Ainda os ministros do STF, não tinham se estranhado, nem Aécio fora denunciado, nem os 6 bilhões da Petrobras haviam sido contabilizados, nem o esquema do Metro de São Paulo, igualmente. Hoje, há muito mais denúncias. A vergonhosa Reforma Política que não reformou nada para 2018 e sim, mesmo as  acanhadas mudanças, foram remetidas para 2020, num compadrio desaforado que denigre a classe. Conseguiram para 2018 aumentar a verba pública para o patrocínio do pleito que disputam. Desmereceram-se face à realidade, pois hoje nenhum candidato precisa de dinheiro para divulgar suas obras. Precisa sim o país do “Voto Distrital” que proporciona a liderança regional, conhecidos e reconhecidos os candidatos. Neste nosso sistema, candidatos riquíssimos, compram pessoas para representá-los nos mais diversos municípios. Rouba mais quatro anos e repete o esquema, assim a corrupção vai acabar quando?
Temos notícias de vários países que somente há Foro Privilegiado para uma meia dúzia de autoridades; regalias de carro também; aposentadorias em igual tempo de serviço; cumprimento de jornada de trabalho, igualmente.
 Chega de alguns brasileiros terem privilégios despropositais, cujas vantagens  em tempo de serviço trabalhado e remuneração humilha o comum do povo. Não tem discussão – nas nações desenvolvidas e democráticas não é assim. Pelas redes sociais, todo brasileiro que a elas tem acesso  sabe, o que também é constatado pelos meios já expostos de interação pessoal.
Uma nova Constituição, um povo reciclado: viver em sociedade não é tão simples assim - o direito vai, até onde não prejudica o do seu semelhante: os privilégios são degradantes! Deveriam ser rejeitados por quem os recebe e não fazer lobbies através de sindicatos e associações para mantê-los, como vimos recentemente no caso do auxílio moradia.
Abaixo seja o Foro Privilegiado, o Auxílio Moradia, as Férias e descansos exagerados dos Políticos e outros segmentos e tantos outros que fugirem ao razoável de uma vida justa e solidária aos compatriotas!

sábado, 14 de abril de 2018

Rendição ao ícone do Socialismo!


Hoje ele padece da execração pública

À época fez sucesso como  líder sindical, tornando-se num ícone internacional do Socialismo. Com isso passava a ideia de um Brasil democrático e encantou a muitos,  mundo afora.


Ícone do Socialismo! Um título representativo ostentado por décadas, em função do qual granjeou projeção imerecida que o conduziu a cargo para o qual estava totalmente despreparado - a Presidência da República Federativa do Brasil. Hoje ele padece da execração pública,  no cárcere da Polícia Federal em Curitiba. Não, sem antes, promover um alarido por quarenta e oito horas que resultou na sua condução sob vara, ao cárcere!
A síntese do título diz tudo e não precisaria muitas linhas para reconhecer que todos que disputaram e chegaram ao Palácio do Planalto nestes últimos 30 anos estavam no palanque das “Diretas Já" ou na trincheira da luta armada”, à exceção de Fernando Collor, deposto por “Impeachment” no meio do mandato.
No  caso específico do ex-Presidente Lula condenado por infames crimes, pelo seu perfil de coragem e astúcia, à época fez sucesso como  líder sindical, tornando-se num ícone internacional do Socialismo. Com isso passava a ideia de um Brasil democrático e encantou a muitos,  mundo afora.
Porém para quem o conhecia bem, o discurso marcado por cenário pomposo nos jardins de palácio em Paris, no qual alegou nada saber sobre o escândalo do Mensalão, foi  deslavada falácia, pois os políticos principalmente, sabiam que sem o aval dele - ação de tal natureza e abrangência, jamais seria desenvolvida, por ninguém?!
Na mesma época, a revista Veja estampou na capa a imagem de Lula com a chamada: “Ali Babá e seus quarenta ladrões”. Uma verdade comprovada com o tempo que produziu esta prisão porque ele e seus asseclas, não pararam ali, havia a Lava Jato já nos seus primórdios. A ladroeira nos Correios, foi apenas a ponta do iceberg. Hoje está preso e indiciado em vários processos de corrupção quem em 2002, teve o apoio dos brasileiros.
As eleições estão próximas, mais importante  que a prisão de Lula será a proposta da revisão da Carta Cidadã, pois os valores que a embasaram  há trinta anos atrás estão superados.  Dela resultou um excesso de direitos que descompensou a balança do “direito-dever”. O pleno exercício do direito se faz quando exista a compensação na prática proporcional aos deveres da cidadania, incontestável, a máxima e neste quesito, ela deixa a desejar. Haveremos de melhorar.
A modernidade da comunicação proporcionou a interação pelos meios audiovisuais e redes sociais, onde os fatos são divulgados de pronto. Também a informática, igualmente viabilizou bancos de dados que são tormentos para corruptos. De forma que conceitos  e estruturas administrativas de  trinta anos atrás, caducaram, devem ser revistos.
Mesmo considerando a imensidão de nosso território, muitas estruturas administrativas não se justificam mais. Muitos hábitos que caracterizam regalias do agente público, da mesma forma devem ser suprimidos.
Que se adeque o país, conforme exigências da população: chega  de privilégios, atos retrógrados e desonestos do homem público. O país precisa da adequação deste setor quanto ao humano e  estruturas de serviços. O anacronismo de alguns segmentos, estruturas e a corrupção generalizada da classe política apequenou o país.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Democracia, o império da lei!


 Salve a democracia com “ordem e progresso”.

Que novos e melhores dias aguardem o brasileiro, nos quais a sensatez do cumprimento da lei seja a máxima. 

Com os primeiros conceitos anunciados desde a Grécia antiga, nos pensamentos de Sócrates o filósofo das praças públicas e depois interpretados por Platão, o  notável discípulo, o mundo viveu  mesmo sob a hegemonia dos impérios  consagrados, inicialmente pelos romanos nas suas conquistas.
Houve disputas entre os religiosos que em períodos distintos, procuraram influenciar sobremaneira as sociedades, principalmente os cristãos, através do Vaticano, cujo Papa tinha a obediência do rei. São anos de contradições próprias dos humanos que persistem até hoje.  
Quem viajar a Europa verá as grandes muralhas. Seus escombros, não tanto deteriorados assim, denotam o quão distante estamos hoje daquela rústica época. Nos vinte e cinco dias passados na terra de nossos avós, vimos várias abadias, castelos e elas, as muralhas. Em Verona, além da casa onde foi filmado Love Story, uma das muralhas mais imponentes dava no rio de forma que o Castelo Real protegido por guaritas se apresentava intransponível. Ali ao lado um Pórtico  por onde passaram as caravanas dos conquistadores medievais.
Em Portugal a Torre de Belém, utilizada na partida dos grandes navegadores e assim caminhou a humanidade no seu evoluir do questionado Galileu Galilei que imaginou a terra a girar em torno do sol e por isso quase foi decapitado. Até que em 1789, um grupo de pensadores, dentre eles a se destacar Montesquieu escreveu sobre o estado que conhecemos, estruturando-o em três poderes que hoje ainda se apresentam: Executivo, Legislativo e Judiciário.
A  tripartição do poder, vista sob o tratado de Montesquieu e pensadores da época é virtuosa, próxima do ideal. Quem tem acesso a Carta Cidadã Brasileira e  a ler com atenção, verá em seu artigo 5º., quanto  amparo tem o cidadão e em seu bojo, as funções estatais distribuídas, minuciosamente.
De certo que o ocorrido no Brasil, nos últimos anos decorre mesmo do cafajestismo  individual, às vezes até coletivo mesmo, mormente dos políticos. Ao homem comum, a luta pela sobrevivência, que em muitas ocasiões, lhe reserva condições de necessidade extremas. Certamente para muitos sobrevier é uma arte ou uma luta tenaz, tais são as adversidade do dia a dia.
Entro por estes meandros pela tristeza de ver um homem que permeou todos estes estágios, sendo guindado ao mais alto cargo de sua Nação, renegar tudo para uma vida nababesca, imiscuída ao vilipêndio da desonestidade. Inebriado pelo poder extrapolou os limites da sensatez e hoje aguarda a hora de sua prisão.
Quando os tratadistas dizem que a democracia é regime onde impera lei, tudo que se faz ao  arrepio dela  e a contraria, não é democrático.  Então destruir fazendas, prédios públicos, agredir e ficar impune não se  constitui em prática democrática e sim de desordeiros.
Os cárceres estão cheios de exploradores do povo, que exemplo foi dado? 
Que novos e melhores dias aguardem o brasileiro, nos quais a sensatez do cumprimento da lei seja a máxima Salve a democracia com “ordem e progresso”. 

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Ápice e queda de Lula!


Eis que em terra pátria, a ilha de Cuba passa a ter grande influência

Lula preso, o reconhecimento da Corte de que a lei é para todos. Mais de 6 bilhões de reais gastos na adesão de políticos para a manutenção “ad aeternum” do partido na liderança da nação, ninguém pode suportar.


Escrevo como mais uma missão de vida. Aos nossos desígnios, a amplitude que os dons possam proporcionar. Apesar de ter acesso empírico à lógica das guerras e conquistas dos povos ao longo da história da humanidade, sou pela resolução pacifista dos conflitos e desarmamento dos bandidos e populares, da população como um todo!
A polarização entre capitalismo e socialismo e o evoluir das ações no século vinte, principalmente na primeira metade, foi caracterizada por guerras sangrentas. E só ver o morticínio  na segunda, ´que proporcionou o fortalecimento do segundo, da bipolarização Estados Unidos e União Soviética, sendo que no  meado deste criou um ambiente favorável, principalmente na América do Sul para aplicação de recursos do bloco socialista, na busca do domínio mundial.
Eis que em terra pátria, a ilha de Cuba passa a ter grande influência como ponto estratégico de conquista. Em consequência o assédio, via malas de dinheiro à liderança que incorporasse os princípios socialistas e estes encantavam a muitos, pois representava uma nova forma de viver. Assim tivemos o embate do início dos anos sessenta, pois lideranças internas ganhavam força ao ponto de ameaçar a convicção democrática da população, as consequências já sabemos.
Ocorreu que a força do movimento operário desde a Polônia, sob a liderança de Lech Wasch seduziu os brasileiros, surgindo como expoente Lula que no limiar do fim do regime de exceção ganhou força como líder, chegando anos depois a Presidência da República.
Ele e seus asseclas, assimilaram também o esquema de poder que desprezava a legalidade, segundo a máxima de que “os fins justificam os meios mesmo que escusos” e mancomunados com o empresariado civil implantou um esquema de corrupção, ora exposto que provoca repulsa da população brasileira.
Com a proximidade das eleições, o Impeachment de Dilma e a condenação de Lula e a iminência de sua prisão, fervilha o país à espera de que vá para o cárcere, onde está ou já passou, tantos outros políticos, aliás parceiros seus nas ilegalidades. Por que ele não vai ser preso, indigna-se o povo!
Ontem a população voltou às ruas, juízes e procuradores assinaram abaixo- assinado e o Comandante do Exército se posicionou contra a impunidade de forma que as próximas horas do STF serão importantíssimas para a população, pois poderá ser viabilizada ou não a prisão de quem se constituiu a esperança do povo e hoje é motivo de grande decepção.
Lula preso, o reconhecimento da Corte de que a lei é para todos. Mais de "6 bilhões de reais gastos  só da Petrobrás" na adesão de políticos para a manutenção “ad aeternum”  do partido na liderança da nação, ninguém pode suportar.
Que os atores de hoje se convenção de suas responsabilidades e mantenham o parecer da prisão após o julgamento condenatório em 2ª. instância. Lula preso esperança, solto profunda decepção! Por um país melhor, a prisão a ele!!!
Do seu ápice, cavou seu abismo! Na prisão terá tempo de refletir em seus erros. Solto o pior dos exemplos. As novas gerações não merecem!!!

domingo, 1 de abril de 2018

Brasil, sempre haverá esperança!

3,8 mil juízes e procuradores que assinaram abaixo-assinado

Sintomática a reação dos procuradores  e juízes; que haja mais segmentos dispostos a protestarem pelo que acham certo, só assim avançaremos.

Registro que a mídia anuncia o engajamento de 3,8 mil juízes e procuradores em abaixo-assinado a ser protocolado no STF, hoje, pugnando pela prisão em 2ª. instância. Eles são contra a postergação do ato de prisão até final julgamento dos recursos, com alteração da jurisprudência firmada no último julgamento. Agora ela se vê ameaçada por novo julgamento provocado pela apreciação do habeas corpus impetrado pela defesa de Lula e pressão de políticos envolvidos na Lava Jato.
A infinidade de recursos aos condenados protelam “ad aeternum” as sentenças dos delinquentes que tem acesso a bons advogados. Vários casos são conhecidos da população em que o réu se viu livre do processo pelo instituto da prescrição. Quando se trata de políticos então ela é quase certa.
Em razão desta situação, recentemente o Supremo Tribunal Federal firmou jurisprudência que os julgamentos em segunda instância eram suficientes para que o condenado fosse preso sem o tramite final dos recursos.
Esta decisão foi comemorada pelo meio jurídico e população. Os segmentos de contenção da criminalidade, como os policiais e judiciários criminais a viram como oportuna. Afastar a impunidade corrente dá credibilidade ao sistema como um todo, junto a população.
No caso dos operadores de ações como a Lava Jato idem, sendo o fim do foro privilegiado, outra questão muito intrincada. Igualmente à infinidade de recursos, o foro acarreta trabalho ao STF para o qual não têm meios e nem estrutura. Por outro lado esta faculdade do foro afronta o princípio da igualdade dos cidadãos perante a lei. Ele deve se restringir ao seleto grupo, para alguns estudiosos do assunto: ao Presidente da República, do STF, do Senado, da Câmara dos Deputados e do Procurador Geral. Aos demais o caminho similar a todos - o juízo de primeira instância.
Muitas são as reivindicações da população relativas aos rumos a seguir. Hoje, a transparência dos órgãos pela eficiência da comunicação, seja do rádio, televisão e redes sociais disponibilizam  informações de pronto que propiciaram a grande marcha cívica de 2013 e pelo Impeachment em 2015.
Sintomática a reação dos procuradores  e juízes; que haja mais segmentos dispostos a protestarem pelo que acham certo, só assim avançaremos. Lula preso! Significa o desmanche de um pernicioso esquema da prática de crimes em conluio com empresários que além eternizar um grupo no poder, possibilitou o enriquecimento daqueles que aderiram às falcatruas de toda ordem.
Sigamos os juízes e procuradores no abaixo-assinado, ido pras ruas. Protestemos pacificamente pelo que entendemos certo dentre tantos aspectos errados que devem ser corrigidos.
Votemos em que tem juízo e transparência, a eleição é este ano. Hora de corrigir o rumo. Pela prisão após condenação em 2ª. Instância.  “Ordem e progresso”, sem corrupção e impunidade!