Na Trincheira do Poeta

Na Trincheira do Poeta

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Entregas por robôs no Vale do Cilício!


No Vale do Cilício, robôs fazem entregas domiciliares!

Cabe refletir em análise sob o ponto vista global que a dinâmica social de hoje, só é possível face a essa própria modernidade da tecnologia. "Viva o amor, viva a vida, viva a  Seleção Brasileira, sendo ou não campeã!!!"


Em tempo de Copa, humanos se reúnem através do futebol e tudo parece festa, o esporte tem este condão, enquanto o futebol arrasta multidões. A tecnologia de ponta  leva ao mundo imagens nítidas instantaneamente. Uma festa global há tempos badalada. Enquanto isso no cantinho de uma página de jornal a o resumo:  no Vale do Cilício, robôs fazem entregas domiciliares!
Um contraste ao pessoal de minha geração que se assustava com as máquinas colheitadeiras que lhes tiravam o emprego e em frenético alarido se perguntavam: que será de nossos filhos sem empregos?
Bem possível que os sociólogos desavisados desta preocupação, imputam a criminalidade outras causas, mas certamente a falta de emprego que gera uma ociosidade sofrida pela inexistência de perspectiva a médio e logo prazo sufoca o indivíduo, tortura-o, sendo o tráfico uma oportunidade de ganho e o uso da droga a auto tolerância  da ação delituosa e pior que isso também auto destrutível física e social.
A indústria de robôs não para e suas múltiplas funções evoluem diariamente. Carros autônomos pelas ruas sem motoristas, já vemos. Previsão de localidades da Europa, Estados Unido, Japão abolirem a utilização do petróleo em suas frotas são divulgadas. A evolução tecnológica é fantástica, seu ritmo alucinante.
Cabe refletir que a análise do ponto vista global que a dinâmica social, vista hoje, só é possível face a essa própria modernidade da tecnologia. No caso da fome no mundo por desabastecimento de gêneros inexiste pela alta produção de grãos da qual se beneficia o Brasil, com a renda dos alimentos e produtos minerais, entre outras  se transformou na oitava economia mundial.
Atualmente, a longevidade também está se globalizando, uma transformação maravilhosa sob vários aspectos quem não quer viver muitos anos. Todas estas mudanças alteram a lógica de alguns tempos de que haveria grave fome e um colapso na humanidade. Há a fome que  não decorre da falta de alimento e sim da pobreza local por outras razões. Assim concluo que os robôs, como os drones que fazem a segurança de nossas casas, estabelecimentos penais e tantos outros serviços são bem vindos. 
Nestes dias e em outros bem distantes, métodos anticoncepcionais surgiram para o equilíbrio populacional. A concluir que há condições para quase tudo que o homem queira, sendo o fermento da energia positiva a depurar as atitudes individuais o amor.
Em nome dele e por ele, poucos erros e muita sabedoria afloram. Assisti a copa de 1962, com meus dois irmãos, dois dias depois dos jogos, no salão social do Bar do Abreu, conjugado com o posto de gasolina do mesmo nome. Neste momento poderia estar escrevendo e  assistindo Irã x Espanha. Não o faço por questão de método particular.
Viva a vida, viva o esporte, viva o Brasil! Certamente o país do futuro, isto só depende do amor a ser praticado pelas novas gerações. Quem ama não mata, não rouba, pratica as melhores atitudes espontaneamente e será feliz por toda vida, pois as virtudes, estão ao amor atreladas! Uma saudação especial a quem idealiza os robôs e drones, pois são fruto da sua inteligência, certamente resultante de muito esforço mental e de uma dedicação amorosa, em prol da evolução tecnológica, em todos os tempos da humanidade!!!  Viva o amor, viva a vida, viva a  Seleção Brasileira, sendo ou não campeã!!!

sábado, 16 de junho de 2018

Copa, excelência por meta!

A máxima para vários jogadores e com louvor a Cristiano Ronaldo. 

Os dons são para serem exercitados, sem fanatismo certamente, porém no limite das forças mentais e físicas na conquista de uma vida melhor sempre. Fica o registro de que esta é uma boa receita a todos nós!


Ontem assisti ao jogo Espanha x Portugal  desde os vinte e cinco minutos da primeira etapa, quando o placar acusava 1x0 para os lusitanos, com gol do fenomenal Cristiano Ronaldo. Aficionado ao esporte bretão, acompanho jogos entre equipes  brasileiras para não me encantar com o que está distante e perdendo assim o ânimo com as coisas da terra. Quando chega a copa é diferente.
Esta competição, que ao lado das Olimpíadas polariza o mundo pela concentração das atenções, tem muito a nos ensinar quer seja no aspecto atlético humano e muito também nas relações psicossociais.  Consta da história antiga que as olimpíadas em sua origem interrompiam as lutas greco-romanas no período em que eram realizados os jogos.
Na era moderna, alguns episódios da utilização delas como marketing político foram registrados, inclusive suspensão por guerra. Olimpíadas e Copa do Mundo de Futebol eventos dos quais muitos ensinamentos se extrai.
Jogo empatado, resultado final. Se tivesse que atribuir nota coletiva seria próxima da máxima para as duas equipes e a máxima para vários jogadores e com louvor a Cristiano Ronaldo pelos três gols marcados., com envolvente o toque de primeira, saiu atrás no marcado mas empatou; viu o CR-7 marcar de novo com uma falha de seu goleiro, mérito ao atacante que arriscou de longe. No segundo tempo empatou e virou o placar com belos gols. Três a dois parecia ser o final, quando nos estertores CR-7 sofre falta nos limites da grande área. Depois de todo cerimonial de concentração e pose, bola indefensável no ângulo.
Jogo empatado em 3x3, resultado final. Se tivesse que atribuir nota coletiva seria próxima da máxima para as duas equipes e a máxima para vários jogadores e com louvor a Cristiano Ronaldo pelos três gols marcados. Ele que hoje representa o êxito do pragmatismo entre os jogadores de futebol, pois é divulgado ao mundo sua seriedade quanto exercício  de sua atividade.
Ele treina muito, está seJogo empatado, resultado final. Se tivesse que atribuir nota coletiva seria próxima da máxima para as duas equipes e a máxima para vários jogadores e com louvor a Cristiano Ronaldo pelos três gols marcados smpre concentrado nas partidas extraindo de si o máximo por isso tem números incomparáveis. Nesta partida três, o de falta colocou a bola no ângulo com uma precisão incrível. Muita dedicação ao que faz o mundo inteiro sabe, portanto é a antítese dos que pregam o mais ou menos como rito do dia a dia. Cristiano tem a excelência como meta e se dá bem treinando e se dedicando para isso!
Os dons são para serem exercitados, sem fanatismo certamente, porém no limite das forças mentais e físicas na conquista de uma vida melhor sempre. Fica o registro de que esta é uma boa receita a todos nós! Foi prazeroso assistir esta aula de futebol. Quem vai ganhar a Copa não sei, mas assistir aos bons jogos dela vale a pena para quem gosta de futebol. Um excelente entretenimento! Boa Copa a todos com o Brasil campeão mais uma vez, temos chances, o time está voando. Pra frente Brasil!!

sexta-feira, 15 de junho de 2018

A Asfixiada Democracia Brasileira!


Esta conduta o  “Calcanhar de Aquiles” dos tempos atuais! 
Hoje o balaio de gato que se vê, principalmente na esfera legislativa congressual, resultado do excessivo número de partidos, certamente desfigurou a ação política, pois aventureiros de toda sorte fazem dela meio de vida.
Infelizmente, a Carta Cidadã, nossa Constituição é uma das fontes da asfixia de seus próprios conceitos e por conseguinte da democracia brasileira que hoje se vê. Minuciosa, abrangente e extensa, constou nela o legislador  pormenores de ordem infraconstitucional e ainda infringiu no veio excessivamente protetor da individualidade cidadã, com a prevalência dos direitos sobre os deveres, subestimando o equilíbrio entre o “poder-dever”.Esta conduta o  “Calcanhar de Aquiles” dos tempos atuais que pela devassidão dos usos e costumes, com consequente prevalência dos crimes sobre  a população. Ela desprovida de boa segurança, saúde e educação, se tornaram reféns: “os bons dos maus”- sem que o Estado consiga dar guarida àqueles. Uma lástima!!!Todos os governantes destas quatro últimas décadas, deveriam se envergonhar por não proporem ou conduzirem ações mínimas que refreasse a criminalidade, muitos deles contribuindo diretamente com ela por serem criminosos do colarinho branco, o pior de todos, pois à sombra do poder enriqueceram a si, a prole e os apaniguados. Ainda bem que muitos estão presos o que acalenta a esperança de uma verdadeira mudança que advirá.Do ponto de vista organizacional partidário, assistimos - “o melô do vou ser político”! Vejam os dados comparativos desde os tempos de Getúlio: em 1950 tínhamos  oito partidos: União Democrática Nacional-UDN;  Partido Social Democrata-PSD; Partido Trabalhista Brasileiro-PTB; Partido Social Popular-PSL;  Partido Republicano-PR; Partido Democrata Cristão-PRC; Partido Republicano Popular-PRP e Partido Comunista Brasileiro-PCB. Com o advento das mudanças a partir de 1964, em 1968 houve o Ato Institucional cinco-AI-5, quando a ação política parlamentar foi reduzida a dois partidos: o Movimento Democrático Brasileiro e a Aliança Renovadora Nacional-ARENA. O primeiro representando o povo e o segundo os interesses e atos do governo. Com esta dicotomia, entenderam os detentores do poder que deram de alguma forma, vozes aos cidadãos, possibilitando eleições e o congresso em funcionamento. Hoje o balaio de gato que se vê, principalmente na esfera legislativa congressual, resultado do excessivo número de partidos, certamente desfigurou a ação política, pois aventureiros de toda sorte fazem dela meio de vida. A possibilidade da perpetuação nas casas legislativas, desde as Câmaras Municipais, as Assembleias Legislativas, Câmara Federal e Senado Federal trunca a renovação e oxigenação do discurso sobre o ideário nacional, promovendo nichos da mesmice e pior que isso de interesses particulares escusos.Ninguém dos quadros políticos e seus nomeados, mesmo os empresários  imaginou ser preso, mas rico todos!!! O uso do cachimbo deixou “as bocas tortas”. Esqueceram-se de que votaram a “Delação Premiada”. Deram azo a uma vergonha internacional e decepção geral do povo brasileiro. Difícil será votar em outubro próximo pela frustração popular generalizada. A democracia cujo mote é o império da lei, foi vilipendiada, asfixiada por seus agentes, pois 35 partidos e outro tanto deste em processo de  aprovação é um descalabro. Tudo que vemos a contrariar seus princípios em solo pátrio!Resgata a esperança, em que pese tudo que escrevo nesta postagem, o ânimo popular por mudança, alavancado pela modernidade dos meios de caça aos políticos indecorosos, criminosos assim enumerados: arquivo de dados; rastreamento de contas bancárias internacionais,  a Delação Premiada, as redes sociais ativas e críticas.  Desta asfixia devemos sair para uma nova Constituinte, senão revisarmos urgentemente nossos conceitos e estrutura político-administrativa, inexistirá tempo de bonança.As eleições uma chance da  discussão de novos rumos. Que se deem em ordem, sob profundo pensar do que mudar. Avante Brasil com ordem e progresso, sob o manto de mudanças dos  detentores do poder e individuais pela educação que iniba a prática criminosa, pois viver “no ou do” crime é sob o ponto de vista ontológico, a essência das coisas, condenável e triste!!!

domingo, 10 de junho de 2018

Partidos, perda da identidade!

Pior que isso são os trinta e cinco partidos.

A correção de rumos urge, os candidatos estonteados perderam o rumo. Os radicais esbravejam, como salvadores da pátria. Será pergunto? Vejo que propostas de reformas estruturais nos encorajariam  a pensar que são sérios.


A utilização da política como meio de vida no Brasil é incontestável. A proliferação dos partidos, a maior prova. Ela se evidência também pela elevação dos distritos a municípios, com estrutura plena ou seja: executivo e legislativo, um verdadeiro cabide de emprego a consumir do erário público, valorosos vinténs sem a mínima necessidade, pois um administrador competente dava conta de bem conduzir os interesses locais.
Pior que isso são os (35) trinta e cinco partidos e o protocolo já efetivado de outros tantos, numa ação infindável sem limites. Por  onde caminhou a sensatez das autoridades que não estancaram isso colocando um limite numérico objetivo de 5, 7, 9, 11, mas 35 - a tenda dos milagres de quem deseja ser servidor público via cabide político, com benesses e prerrogativas extraordinárias. 
última reforma política, bisonha pelo seu acanhamento, ante os despropósitos praticados nesta seara. Ela estabeleceu mínimas condições aos excessos que vemos, como o alcance de número de votos por unidade federativa, assim como um mínimo de eleitos para ter direito ao patrocínio público, ou seja receber verba do fundo partidário.
Então vemos que esta salada de partidos desfigurou a ação política pela perda de identidade junto ao eleitor, assim como dos caminhos a seguir pelo estado brasileiro, face aos difusos propósitos defendidos  por essa barafunda partidária. Tanto na Câmara Federal quanto no Senado as propostas de mudanças, patinam, patinam  e não passam do discursos e pequenas mudanças, um verdadeiro "engana  tolo".
Tivemos uma década de prosperidade mundial, mas os anos de ouro do início do século não foram aproveitados para estruturar o estado brasileiro de forma a prepara-lo aos reveses que sempre acontecem na economia mundial. Tivemos sim um assaque ao tesouro nacional pelo partido dominante que distribuiu benesses mundo afora e pior que isso, parte desta riqueza distribuída foi direcionada ao caixa dois do Partido dominante que numa mesma conta, está comprovada a existência de mais de oitenta milhões de dólares para "verba de campanha". Hoje, está coprovado também que a prática não é privilégio dele, os coadjuvantes também são acusados, alguns já condenados!
Passa de uma centena de políticos e empresários presos, desde o Mensalão que teve continuidade na Lava Jato, numa demonstração de que a manutenção no poder era a guia central dos objetivos dos partidos dominantes e que todos praticam esta sórdida fórmula – “os fins justificam os meios, mesmo que ilícitos”. Pois o caminhar das delações a cada dia aumenta o leque do envolvidos.
Então na política nacional de maneira desaforada e desavergonhada, os interesses nacionais ficam em segundo plano ante a conquista e manutenção do poder. Relevantes objetivos são desprezados face ao imediatismo que leva o político manter seu mandato. Assim vemos a mesmice continuar.
A correção de rumos urge, os candidatos estonteados perderam o fio da meada! Os radicais esbravejam, como salvadores da pátria. Será pergunto? Vejo que propostas de reformas estruturais nos encorajariam  a pensar que são sérios. Bravatas apenas de nada servem, ante aos desafios da administração de um país continente com a  oitava economia mundial.
Uma nova Constituição para varrer de vez os despropósitos dos últimos tempos, assim como os seculares que estabeleceram privilégios a uma casta político-administrativa que constam de várias publicações em redes sociais. A população sabe do que o Brasil precisa. Cuidado candidato com o que vai propor, você pode estar desatualizado.
Fim de vários partidos desnecessários, cabides de emprego sem nenhum retorno prático a nação e dos privilégios sobejamente divulgados da casta administrativa brasileira nos três poderes!!! Um mote principal, uma nova Constituição já!!!
Precisamos de políticos e autoridades públicas na acepção do termo e não de fantoches que desfrutem de mordomias descabidas, ad eternum!  

sábado, 2 de junho de 2018

Ressuscitemos a empatia!

Lembro-me dos vikings, apresentados no cinema

Pior produzir riquezas, roubar mesmo, com o fito de se aparelhar com armas,  como estratégia que alavancasse a causa que cingia à implantação da ditadura do proletariado no país.


Poderia divagar sobre este tema de diversos liames  pois trata-se de sentimento nobre impulsionado de nosso interior de forma a não suportar o sofrimento, a injustiça e o desprezo ao próximo.
De criança e pré-adolescente lembro-me dos vikings, apresentados no cinema em versões como grupos de navegantes saqueadores a importunar tripulações de passageiros e barcos comerciais em rotas distantes a transportar riquezas, tornando-se os terrores dos mares, deduzindo-se que eram pessoas violentas e maldosas, sobre as quais tínhamos asco.
Não foi longe e tivemos a nossa porta os “terroristas”, indivíduos acima do bem e do mal, que se intitulavam defensores dos direitos populares e por esse mote pegaram em armas decididos a sacrificar quem bem entendessem que lhes fosse antagonista e pior produzir riquezas, roubar mesmo, com o fito de se aparelhar com armas,  como estratégia que alavancasse a causa que cingia à implantação da ditadura do proletariado no país.
A dialética era disseminar os conceitos de um novo viver sob a égide de um discurso revolucionário, onde a riqueza se concentraria no Estado para uma distribuição igualitária, eliminando ao máximo as diferenças de classes.
Em nome disso foi implantada a luta armada que muitas vítimas fez por seu lado e como revés, face ao insucesso, mais ainda em seus quadros.
Aos jovens pela idade que não vivenciaram este momento e àqueles que por motivos próprios ou da vida não se atentaram à política, o fazendo somente nestes últimos cinco anos pela massificação das notícias, via internet,  imprensa e redes sociais e assim se dispuseram a  sair nas ruas a protestar, é bom recordarmos.
O funeral da empatia se materializa no que vimos nesta última semana, pois da forma como foi realizado o protesto houve danos desnecessários, compatível com o pensar do quanto pior melhor. Hospitais parados, produtos perecíveis sendo jogado fora como leite e frangos mortos por falta de alimentação. Foi horrível de ver. Ao de forma imbecil - uma pedra atravessou o para briza e atingiu um motorista que  trabalhava que foi a óbito. Numa reunião social domingo uma anciã não se conformava, nem eu!!!
Que haja uma profunda discussão sobre mudanças entre os candidatos nas próximas eleições e se for o caso, que aborde a proposição da instalação de nova Constituinte, pois a constituição que aí está, exauriu. Também registrar que a generalização dos privilégios a começar dos políticos é incompatível com os tempos atuais!!! Haverá de ter novos rumos, sob a égide de valores atualizados. A Carta Cidadã caducou!!! Colocar-se no lugar do outro, uma atitude sábia que arrefece o individualismo do “levar vantagem em tudo”, matriz de toda ação corruptiva! Ressuscitemos a empatia!!!

sexta-feira, 25 de maio de 2018

O caminhoneiro e a greve!


Mais um pulsar democrata pela reunião e ação de cidadãos.

Neste momento os comparo com aqueles encastelados que tem 60, 80 sabe-se  lá, quantos dias de descanso por ano.

Nestes tempos midiáticos que o universo cabe em nossas casas, ou melhor salas por mais pequenas que sejam, mais precisamente assistimos “O Herói da Estrada”  como protagonista de mais um pulsar democrata pela reunião e ação de cidadãos, indispostos a suportar determinada postura ativa e coordenada de forma que impressione a população, mesmo que provoque danos e contratempos alhures.
Driblo o tema, em hiato proposital, ao registrar o paralelo que tanto fiz dos segmentos dos operários de atividades em turnos ininterruptos por esse país afora, promovendo a riqueza nacional. Neste momento os comparo com aqueles encastelados que tem 60, 80 sabe-se  lá, quantos dias de descanso por ano.
Nesta condição o caminhoneiro é o mais visível de todos. Há algum tempo fiz o percurso Florianópolis a São Paulo num domingo. Uma viagem turística esplendorosa, por entre montanhas e florestas, sob uma névoa num mosaico, multiforme que inebriava somada, às lembranças das lindas praias da Ilha de Florianópolis.
Ao cessar o hiato, difícil esquecer das prontidões no Batalhão Tobias de Aguiar de onde saíamos para conter os revoltosos dos anos setenta que as promoviam motivados pelo ideário democrático, diziam e que veríamos, não era bem assim, pois escamoteavam o comunismo, este sim o mote de quem os patrocinavam.
Voltando a figura exposta sempre dos caminhoneiros pelas estradas, confesso que os admiro enquanto dotados para uma atividade desafiadora, própria do aventureiro, "a vida toda a viajar".
Quanto a ação paredista, do resumo exposto na mídia a concluir que incidiu o administrador de preços do petróleo, numa elevação dele repetitiva em curto espaço de tempo sem que  justificasse o pensamento motivacional lógico do custo benefício, uma vez que o frete não acompanhava a despesa gerada. Este um resumo primário da justificativa central.
Acontece que ao ver alguns caminhões perfilados nas rodovias, não se tem a dimensão da somatória deles e da real importância do segmento para a vida nacional.
Para gáudio de toda população, o noticiário dá conta de que as estradas estão sendo liberadas. Quiçá a ordem seja restabelecida e não haja motivo para novas paralizações. De meu interior, sempre o querer distinguir este segmento pelas peculiaridades desafiadoras da profissão, assim como todos aqueles que atuam em turno porque a produção não pode parar! Seus esforços são capitais para o giro da roda da vida. Sem greve sempre melhor, com ela que o seja por uma causa justa. Esta é a essência democrática, rumo ao futuro!!!

terça-feira, 22 de maio de 2018

A pífia reforma política!


Instalada, os temas de maior interesse popular foram rechaçados.

Dos 3,6 bilhões propostos inicialmente, foi aprovada uma verba de 800 milhões, que será coberta pela supressão de emendas com pedidos de verbas pelos parlamentares.

Dos 3,6 bilhões de reais propostos inicialmente, foi aprovada uma verba de 800 milhões, que será coberta pela supressão de emendas com pedidos de verbas pelos parlamentares.
O turbilhão de políticos envolvidos em falcatruas deixa poucas opções ao voto, mesmo porque a tíbia reforma política por muito pouco não vota apenas a fixação da verba de campanha. Sob alegação de que a verba advinda da doação de particulares fora vedada.  Assim que foi derrubada a denúncia de Temer pela Câmara Federal , alvoraçaram os parlamentares pela reforma e com o fito exclusivo neste objetivo de interesse corporativos. congressistas em articulação urgente, pois o prazo urgia.
Instalada, os temas de maior interesse popular foram rechaçados, sendo que a conquista da verba ganhou espaço e pouca coisa a mais foi votada, sendo que os assuntos com teor polêmico teve sua vigência para 2020. Desta forma, ao final a proposta de 3,6 bilhões de reais, abaixou para 800 milhões, entretanto os temas mais polêmicos: como voto distrital; extinção do suplente de senador; extinção dos vices; proibição de coligações e votos de legenda, foram abortadas da discussão, enquanto a verba para os partidos políticos vinculada a supressão de emendas parlamentares do orçamento anual.
Dos 3,6 milhões propostos inicialmente, foi aprovada uma verba de 800 milhões, que será coberta pela supressão dos pedidos de verbas pelos parlamentares.
Houve pequeno avanço quanto às cláusulas de barreiras aos partidos nanicos e novos, no seguinte teor: na eleição de 2018, os partidos precisam alcançar, no mínimo, 1,5% do total de votos válidos distribuídos em 9 estados ou mais. E em cada um desses estados a legenda precisa ter, no mínimo, 1% dos votos válidos, ou eleger nove deputados distribuídos em, no mínimo, no estados. Essas exigências vão aumentar gradativamente até 2030. A mudança deve impactar principalmente os pequenos partidos, menos representativos.
Também  foi exigido um desempenho eleitoral mínimo para que os partidos tenham direito ao tempo de propaganda e ao fundo partidário. Esse desempenho mínimo exige o cumprimento de pelo menos uma de duas exigências: na eleição de 2018, os partidos precisam alcançar, no mínimo, 1,5% do total de votos válidos distribuídos em 9 estados ou mais. E em cada um desses estados a legenda precisa ter, no mínimo, 1% dos votos válidos ou eleger 9 deputados distribuídos em, no mínimo, 9 estados. Essas exigências vão aumentar gradativamente até 2030.
A mudança deve impactar principalmente os pequenos partidos, menos representativos. Ante os descalabros e absurdos da representatividade federativa, onde o voto dos brasileiros não tem valores proporcionais, discriminação esta centenária, vista no ensino médio, quando já era criticada.
 Aprovado  o fundo eleitoral , mesmo que distante da quantia pretendida, várias sugestões de aperfeiçoamento do modelo foram rechaçadas, como visto, sendo sugerido inclusive que a reforma seja discutida fora do âmbito do legislativo eleito. Na ocasião por cidadãos de conhecer ilibado, numa  Constituinte Específica à Reforma Política, referendada popularmente, tal é a importância deste assunto para o país.
Cidadãos o clamor agora é para que valorizemos a democracia, votando conscientemente em quem demonstre maturidade e equilíbrio para bem governar, escolhendo candidatos que tenham serviços relevantes a nação, a sua cidade e de conduta ilibada, sem retoque quanto a honestidade de propósitos e radicalismos quaisquer!