Na Trincheira do Poeta

Na Trincheira do Poeta

sábado, 21 de maio de 2016

As travessias da vida II


A resignação, a perseverança, a honestidade, a gratidão, a coragem – regadas pela alegria que flui do amor é o melhor remédio a todos os males físicos e mentais!

Faz-se necessária uma  introdução, mesmo que atrasada, por ser já a segunda do título. Ocorre que estes são os cinco anos de chumbo de minha vida. Agradeço a Deus sempre pela forma como cheguei ao ocaso deles, sendo que as nuances das etapas ano a ano foram de sobressaltos, como   num bungee jump - o saltar da ponte e não saber até onde vai a ponta da corda, muitas vezes tive a impressão de que daria com a cabeça nas pedras, não rumo a morte física, mas sim ao exaurir dos meus sonhos de forma a não ter nenhuma chance. Horrível esta sensação continuada dos 14  aos 19 anos.
Consigno que será uma lembrança carregada da mais pura emoção e se vou esmiuçar alguma etapa e que se alguém for se retratar a elas como referência ou em si próprio que não haja dúvida quanto ao crivo fiel e verdadeiro de todo meu escrito biográfico e que o faço como agradecimento ao reverência ao esforço premiado pela providència divina. Se ao agnóstico basta o conhecimento do expectro social para uma vida ética e feliz; a mim, os ensinamentos cristãos praticados sem o fanatismo do beato estremado, mas como pano de fundo a permear meus pensamentos e atos, sendo  o continuado pensar e acreditar neles, não tenho dúvida, o esteio principal de minha morada e vincência até os dias de hoje.
As postagens não sei quantas desta etapa, fluirão em escritos não mais que duzentas palavras, exceto esta primeira pelo necessário preâmbulo. Domingo é dia de reflexão e descanso e assim procederemos com textos exíguos. Que o conhecimento das passagens, comuns a vários companheiros de jornada que tive nos meus dez anos de alojamento,  assim somo os deles aos meus. Se os nominasse daria um conjunto da prova  que: a resignação, a perseverança, a honestidade, a gratidão, a coragem – regadas pela alegria que flui do amor é o melhor remédio que há a todos os males físicos e mentais.
Vamos aos fatos - estudei somente dois meses em escola estadual na segunda série do ginásio em Batatais, após deixar o seminário. Era obrigatório um uniforme caríssimo para as nossas posses e lá vou eu. Também era longe, do outro lado da cidade, minha madrasta com oito pessoas para assistir, incluindo um bebe, evidente que se visse em dificuldades.
Dois meses foram suficientes para que me encontrasse, circulando no entorno da escola, pensando o que seria do meu futuro sem estudo, uma situação que não desejo para ninguém. Não conseguia voltar à escola na parte da tarde  e participar das atividades esportivas que tanto gostava pelas obrigações que meu genitor me impunha.
Por uns dias me vi no entorno do colégio matando aula, o que jamais fizera, pensava no que seria de minha vida sem os estudos. Veja o "giro da roda gigante encantada da vida" pois aconteceu que 17 de fevereiro de 2014, ao completar 67 anos, lancei nesta mesma escola, hoje centro cultural que ainda preserva salas nas condições que estudávamos, inclusive carteiras – o livro Tributo a um Herói em homenagem ao Cap PM Alberto Mendes Júnior, morto por guerrilheiros no Vale do Ribeira em 10/05/1970. Familiares e amigos reunidos, foi muita emoçionante. Ao visitar o prédio e ver a sala preservada, sensação de lágrimas, somadas às do tempo de estudante. Na próxima postagem, já deixei a escola e estou carregando lata como servente de pedreiro.  Até  domingo!
Que o Senhor seja louvado para sempre louvado seja. Invoco bênçãos divinas a todos familiares,  que compartilharam conosco as dificuldade da orfandade. Seja a solidariedade  o apanágio da vida e parceira de atitudes cidadãs justas para todos. Bom domingo na Paz de Cristo!

terça-feira, 17 de maio de 2016

Árdua tarefa. Avante Gigante!

Foi dinheirama tupiniquim para tudo quanto é lado...

A nova equipe governamental  lança suas ideias e bases  ao que, em síntese, denominou "um Governo de Salvação Nacional".

Publicado na íntegra no jornal O Regional de Catanduva em 22/05/2016

Passados os primeiros dias do afastamento da Presidente Dilma, as notícias que se tem é de que um trabalho hercúleo espera a nova equipe de governo. A reação de países vizinhos apaniguados de quem deixa o poder foram os primeiros a insurgirem em protestos,  como fizeram os governos de Venezuela e El Salvador, que chamaram seus embaixadores de volta. Cuba, Uruguai e Nicarágua se expressaram contra o Impeachment. Esta reação já era esperada pelo tratamento privilegiado que tiveram, incidindo eles contra os interesses nacionais ao que se chama de Movimento Bolivariano, com ênfase maior a partir de Hugo Chavez, da Venezuela - hoje substituído pelo seu fiel escudeiro, Maduro.
Muito se noticiou ao longo destes últimos 13 anos sobre os privilégios com que foram distinguidos alguns países da região, com incentivos descabidos por desproporcionais ao que se passava internamente, em face de inúmeras obras inacabadas no país -  ferrovias, estradas, portos e aeroportos, além da rede de saúde pública depauperada, no limite máximo negativo. A transposição do Rio São Francisco caindo pelas tabelas, Belo Monte atrasada e a farra do boi comendo solta, inclusive além mar, do que se sabe que investimentos da mesma ordem ocorreram também em países africanos.
Foi dinheirama tupiniquim para tudo quanto é lado, cuja lisura nas negociações é duvidosa, conforme  avaliações recentes; detalhes escusos chegam de forma mais pormenorizada, aos poucos, inclusive nas denúncias nos escândalos detectados na Operação Lava Jato - dos quais os desdobramentos a cada dia acrescentam novidades quanto à malversação de verbas públicas para manutenção de um projeto de poder, via corrupção.
A nova equipe governamental  lança suas ideias e bases  ao que, em síntese, denominou "um Governo de Salvação Nacional". Em todas as áreas, mudanças urgentes hão de ser implementadas. Exsurge no horizonte sombras de dificuldades opostas pelos destituídos, entretanto a força recebida das ruas para que ocorresse o afastamento da Presidente Dilma deverá prevalecer sobre os negativistas de plantão.
Há três anos (em 2013) foram lançadas, por todo país, as sementes desta nova ordem, lançadas nas ruas pelo povo sob a inspiração de outros valores a serem praticados na política brasileira. A largada foi dada também pelos políticos que conduzem o Impeachment. Sejam eles exitosos e felizes na condução desta etapa da vida nacional. Ordem e Progresso, um lema originário na República e síntese dos valores positivos da pátria amada do Brasil. Com ele, e em frente – paz, amor e prosperidade, sempre. Avante, Gigante!

terça-feira, 10 de maio de 2016

O direito de espernear!

 Desfez o que de bom construiu o governo civil de 1985 a 2002

Que vosso espernear sirva para que os vencedores se lembrem que não podem repetir os vossos erros, senão o povo nas ruas os substituíram também.

Diz-se que o mais legítimo  meio de defesa existente aos desperados, prestes ao último ato de uma causa perdida, é o direito de espernar. Assim procedem os governistas em todo país. Evidente que os apaniguados destes últimos 13 anos estão desesperados, quando se aproxima o penúltimo ato dos estertores de um sistema de governo que desfez o que de bom construiu o governo civil de 1985 a 2002. Amanhã será consumado o afastamento da Presidente Dilma, o último número do placar acusa em votos declarados 51, se chegar a 54 dará os dois terços necessários, ao final do processo para seu espurgo definitivo.
Então são pequenos grupos infernizando a vida de milhares de brasileiros, como se fossem os donos da verdade e do poder absoluto a atravancar a vida de milhares de pessoas a partir dos gritos de desespero de quem não sabe perder, centrados no Planalto Central.
Ridículo a Presidente interagir com  as mulheres reunidas e comemorar a decisão tresloucada do Presidente da Câmara Federal de anular um ato consumado pelo seu exaurimento, com o  processo de Impeachment em pleno andamento no Senado. Da mesma forma ridículo o recurso ao STF que em mandado de segurança tenta impedir que o afastamento de Dilma seja decretado amanhã.
Para gaudio da Nação Brasileira, o novo ministério de governo está constituído. Aguarda nomeação e posse. Dez ministérios serão reduzidos; inúmeros comissionados com  dispensa anunciada. Esta sangria de dinheiro público que será estancada. Um novo tempo, sob a égide do que pediu todos os brasileiros nas ruas desde 2013 haverá de imperar na terra tupiniquim e que seja inspirado na inocência deste seu primeiro povo que da terra tudo tirava, porém a respeitava mais do que os ambientalistas engravatados de hoje e muito mais ainda do que  os lobistas que se locupletam no poder, quebrando regras sagradas, se beneficiando do dinheiro público cuja origem desprezam, pois toda riqueza provem do suor do trabalhador.
Ridículo não saber perder, então esperneiem. Que vosso espernear sirva para que os vencedores se lembrem que não podem repetir os vossos erros, senão o povo nas ruas os substituíram também. Avante Brasil!

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Uma semana decisiva!

Nefasto legado do vale tudo, desde que se mantenha o poder.

Tem este gigante amado por seus filhos, a oportunidade de rever a sua negativa história destes últimos anos e revertê-la enquanto é tempo o seu rumo, pois o que se vê é muito triste.


Tão importante quanto a sessão plenária da Câmara Federal do dia 17 de março último quando o Brasil parou para assistir a votação da admissibilidade do Impeachment da Presidenta Dilma será a sessão da próxima quarta-feira, quando o Senado, também votará  a mesma condição para a continuação do processo somente que agora por um número reduzido de parlamentares  senadores  e com uma condição menos favorável  ao governo que é a maioria simples.... O placar do Estadão dá 50 pró e 20 contra, o impeachment da Presidenta, portanto o afastamento é certo.
De outro lado o Supremo Tribunal Federal  decidiu pelo afastamento das funções o Presidente da Câmara Federal  de sorte que dois dos principais agentes dos desmandos atuais que se constata estarão fora do ringue. Renan que preside o Senado poderá ser o próximo, pois acusações de corrupção não lhe falta, são inúmeras.
O momento converge para uma situação de reflexão das autoridade quer sejam políticas, judiciárias, eclesiásticas ou mesmo da lideranças das instâncias informais da sociedade de que o Brasil, precisa se livrar desse nefasto legado do vale tudo, desde que se mantenha o poder.
Ao folhear a constituição vemos no seu início, bem ali na primeira página que tenho aberta “ todo poder emana do povo que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição”.
Antecedendo o parágrafo vemos o registro dos valores, donde destaco: a dignidade da pessoa humana.  Milhões de brasileiros nas ruas de todo o Brasil ao expelir de seu meio quaisquer político, decretou que suas condutas os tornaram indignos de liderá-los. Esqueceram-se de serem dignos no uso do mandato popular.
Com certeza uma reflexão da condenação de boa parte da liderança política no Mensalão que é apenas um filhote do Petrolão. Tem este gigante amado por seus filhos, a oportunidade de rever a sua negativa história destes últimos anos e revertê-la enquanto é tempo o seu rumo, pois o que se vê é muito triste.

O povo deve permanecer nas ruas, não só isso - produzir  projetos pela via do exercício direto da democracia em todos os níveis, como foi o caso da lei da ficha limpa. A participação popular é fundamental para o acerto da liderança. O país é de todos nós e não dos políticos, sejamos vigilantes e atuantes.

domingo, 8 de maio de 2016

As travessias da vida!

Entretanto de excepcional turbulência no velejar.

Uma constatação de que a esperança há que estar sempre em nós, perseverar, ir em frente, receita a quem queira alcançar objetivos, até os que pensares inatingíveis.

A vida é como a onda do mar com o barco a navegar e o timoneiro atento no seu pelejar. Um sentido que parece poético, entretanto  excepcional na turbulência ao velejar. Assim, plagiando a História Sagrada, represento os momentos agitados e mais difeceis por travessias, pois se a do deserto demorou quarenta anos com dificuldades de toda ordem, as da nossa existência não ficam atrás.
Consigno o nascimento como a primeira das travessias do indivíduo. Atualmente os meios modernos médicos amenizaram este momento, porém em 1947 a maioria dos partos eram naturais, sendo o primeiro filho uma dificuldade a mais. O índice de morte infantil altíssimo. Não me consta que tenha havido qualquer problema no meu caso, porém ao deixar o ventre materno, todo neném sente o impacto de um ambiente adverso ao que esteve por nove meses. Outrora cuidados especiais de proteção eram intensos ao nascituro. As  mães observavam  quarenta dias de resguardo. Hoje, mudou muito os procedimentos pós  parto que é visto com mais naturalidade.
Tudo fluía bem até que no dia 7 de janeiro de 1958, como registrado, minha mãe deixou este plano terrestre, sendo este momento e o período de um ano após,  até ir para o seminário de dificuldades e incertezas. O vazio deixado pela sua ausência foi amenizado nos dois anos de estudo religioso, porém ao sair dele e depois em breve tempo dos estudos regulares,  foi criada uma situação nova de intensas dificuldades - foram cinco anos de um faz de tudo sofrível, onde as perspectivas de futuro se exauriam, expirando em mim qualquer esperança de estudar. Restava-me um tênue liame de que no Exército, sendo mais específico seguir para o Batalhão da Guarda Presidencial como voluntário, seria minha definitiva chance.
Na próxima semana narrarei estes cinco anos de extremo viver...uma constatação de que a esperança há que estar sempre em nós, perseverar, ir em frente, receita a quem queira alcançar objetivos, até os que pensares inatingíveis. Neste dia das mães homenageio a todas elas,  particularmente   a  minha mãe Izabel Joli Xavier e Ivanir Arão Xavier, minha esposa querida e mãe de  nossos dois filhos. A elas as minhas particulares e devotadas preces.
Domingo dia do Senhor que ele seja louvado para sempre louvado seja. Que sejamos dignos de uma vida justa e solidária. Uma ótima semana a todos.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Só falta o Renan!

São feudos por todos os lados que se perpetuam

Registrei em “Triunvirato dos Acusados” o absurdo de sermos liderados por três autoridades sob graves acusações.

Assim como insisto que a não deflagração do Impeachment em 2005, somado a admissão da reeleição são dois erros crassos na política brasileira. Hoje reconhecido que a continuação no poder por oito anos provoca um engessamento das lideranças, tornando a democracia mais própria à dinastia. São feudos por todos os lados que se perpetuam, constatada a situação  pelos escândalos do Mensalão e do Petrolão  e seus desdobramentos que  tudo funciona sob graves condutas corruptas da liderança empresarial cooptada pela politica. Tem político criminoso dando bis na prisão, onde chegamos!
Neste diapasão e sempre a constatar com minha luneta mágica as distorções comportamentais  das lideranças, registrei em “Triunvirato dos Acusados” o absurdo de sermos liderados por três autoridades sob graves acusações. Para regozijo da Nação duas já caíram e a terceira é o Presidente do Senado, sobre o qual recaem graves acusações e não é de hoje.
Em 2012,  presenciei  em Copacabana manifestantes revoltados que propagavam “o fora Renan”. Este protesto se deu em todo o país, mas eles dão a volta por cima e parecia que nunca seriam alcançados.
A hora dele vai chegar também, assim como a de todos que se envolverem em corrupção doravante. A sociedade acordou. Chega de manipulação política, chega do pode tudo a políticos e autoridades. O país é nosso e não  dos corruptos sem escrúpulos que através de artimanhas escravizam pela manipulação os incautos necessitados e da cooptação pelo dinheiro os empresários. Uma vergonha mundial que nos pôs a pique. Por novas e saneadas condutas clama o povo nas ruas desde junho de 2013. Menos partidos, menos ministérios, menos ladroagem e mais compromisso com uma sociedade justa e solidária. A vez de Renan está chegando. A da Dilma e do Eduardo Cunha já chegou. Avante Brasil.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

A evolução do Futebol!

Empate por 0x0 tinha aos montes.

Ocorreu então o combate à cera, aquela infinidade de bolas devolvidas para o goleiro foram proibidas; a vitória passou a valer três pontos e lá se foram os empates sem gols.

Publicado na íntegra no jornal O Regional de Catanduva em 8/05/2016

No futebol paulista da década de 60/70, o campeonato era por pontos corridos, onde  a vitória valia dois e o empate, um. O árbitro era a principal figura do jogo, ocorria pancada dos zagueiros do pescoço para baixo, empate por 0x0 tinha aos montes.
Então ao som do radinho de mão nos perguntávamos - não é possível punir o empate sem gol, a cera...melhorar isso? O jogo daquela  forma tornava-se monótono.
Ocorreu então o combate à cera, aquela infinidade de bolas devolvidas para o goleiro foram proibidas; a vitória passou a valer três pontos e lá se foram os empates sem gols; teve a introdução do cartão amarelo que aumentou o rigor com o propósito de inibir a pancadaria.
Na última Copa do Mundo houveram pouquíssimas faltas, na decisão do Campeonato Paulista a mesma conduta. Aí aparece o Audax, time de empresário, que só quer estar de bem com a bola. A equipe tem uma dinâmica de jogo que valoriza a posse da pelota; iniciativa e improvisação individual dos atletas, enfim, futebol bem jogado o tempo todo. Os técnicos de ambas as equipes deram exemplos: um  quer seu time jogando o fino da bola e o outro elogia o adversário mesmo na derrota, este é o verdadeiro "fair play" - conceito cuja inclusão não poderia ser esquecida.
O árbitro já não é   a figura mais  importante do espetáculo de mínimas faltas. Em que pese os problemas das torcidas fora de  campo, o futebol evoluiu muito, é outro jogo hoje, com certeza! O tempo de bola rolando aumentou, todos os jogadores participam intensamente. Eles pelo melhor preparo físico correm distâncias muito maiores e  marcam o campo todo do começo ao fim das partidas. A dinâmica de jogo é outra. A média de gols também  é muito maior do que a de outrora. Melhoraram os campos, os centros de treinamento, a fisioterapia. As arenas não têm alambrado e não  ocorre invasão de campo. É o torcedor contendo sua emoção, impensável décadas atrás. Resta melhorar o entorno nos deslocamentos dos torcedores, onde tem havido confrontos, porém há medidas  das autoridades em andamento para atingir este público também.
Formado em Educação Física, fui técnico amador, coordenador de esportes, da avaliação física em unidades militares e dirigente de associações desportivas. Praticante de futebol ao nível de recreação,   o acompanho como a maioria dos brasileiros, daí esta resenha. Valorizo a prática dos esportes em geral, sei da sua importância para a saúde física e mental do indivíduo, entretanto a  predileção é pelo futebol. Sua evolução no campo de jogo é inconteste.
É tempo festivo das Olímpiadas no Brasil. Que nelas reine a paz e a esportividade, sem qualquer evento extraordinário que possa nos entristecer. Trégua à negatividade em todos os sentidos. Avante Brasil!

domingo, 1 de maio de 2016

O seminário em minha vida!

Somos eternamente reconhecedores do bem que nos fizeram.


A vida é uma sucessão de fatos que não dominamos em parte, os quais dependem  de uma intuição que brota em nós, sabe-se lá por que fonte de impulsos. Ela aflora de forma enigmática a nos induzir a iniciativas ou mesmo vão de encontro a acontecimentos e fatos que se sucedem ao acaso, a constituir a história sinuosa de nosso viver.
Nesta etapa, órfão coincidiu ir para o estudo religioso, reconstituída a família o deixei. Pergunto-me para esclarecer - quisera eu deixar aquela instituição? Não porque adorava estudar. Contingências do momento foram determinantes: falta de renovação do enxoval; apoio ao pai e perda temporária, nas férias, dos ritos praticados na clausura.
Certo é que sai, sob o risco de nunca mais estudar. Felizmente reencontrei-me com a escola passados seis anos. Confesso que um pensar fixo de que isso aconteceria, foi a ponte em mim que esteve para ruir mas isto não aconteceu.
Quanto ao seminário em minha vida, evidente que a pureza do relacionamento naqueles dois anos foi um sustentáculo interior do acreditar no ser humano. A perda da mãe proporcionou esta etapa de vida a mim e por mais de sete anos a duas irmãs em colégios de irmãs religiosas. Somos eternamente reconhecedores do bem que nos fizeram.
No seminário aprendi muito, o estudo da história sagrada; alguns conceitos passados com uma convicção da qual jamais me apartei - deixe que o Senhor opere em sua vida, não faça longos planos; nesta dimensão humana somos reles mortais, do pó viemos e a ele retornaremos cuide da alma. Todo pensar imbuído dos conceitos das tábuas de Moisés...a turbulência da travessia do deserto e os ensinamentos deles deduzidos – amar a Deus, ao próximo, honrar  pai  e mãe, enfim um feixe de valores que não tumultue a vida do outro para que a coletividade tenha paz. Este é o resumo daqueles dez preceitos.
Ao viver uns anos sozinho, quatro deles desgarrado totalmente da família, os ensinamentos foram fundamentais para que fizesse minha própria travessia. Quem não tem valores referencias de vida, passa ao léu e errante. Não vai a lugar algum por não saber para onde ir.
 Renovo meu testemunho: dois anos no seminário – nada de negativo a lembrar. Eles somados aos onze da infância campesina, muita energia positiva emulativa pela vida afora. Domingo reservado a reflexões.  Que o Senhor seja louvado para sempre louvado seja e que tenhamos um viver justo e solidário.